sábado, setembro 10, 2005

Talvez um dia...

Numa tarde quente de Verão, ela viu-o, naquela rua de casas de pedra, ocas sob uma calçada dura e silenciosa e, rapidamente, desviou o olhar. Ele estava com a máquina fotográfica na mão, a fotografar a beleza daquele lugar. Ela sabia que não podia deixar de lhe falar, talvez por vergonha não o teria feito antes…depressa olhou para ele e viu-o a sorrir-lhe, cumprimentou-o com um simpático e tímido “tudo bem?!” e seguiram para junto da família dele onde se divertiram e começaram ambos a ambientar-se àquele clima quente e acolhedor da pequena aldeia.

Durante aquela semana saíram todos os dias com alguns amigos que tinham em comum e ela sentiu que se começavam a aproximar mais, talvez por ser mulher e ainda jovem, começou a imaginar que um dia poderiam ficar juntos; tinham os mesmos gostos, falavam sobre as mesmas coisas, mas a distância e o facto de ele já ter namorada, separava-os.

Ela não sabe se ele sentia o mesmo, mas algo lhe dizia que não, apesar dos amigos os tentarem juntar. Disseram-lhe até que ele poderia estar apaixonado, ao que ele respondeu com um gracioso sorriso de quem não sabe bem se é realmente aquilo que quer. Ela ficou envergonhada pela situação e fingiu não perceber a conversa, mais uma vez a timidez falou por ela.

A semana de férias dele e da família acabou, no último dia divertiram-se muito mais que nos dias anteriores e ela começava a ficar angustiada, pois sabia que nunca mais o ia ver, só nas próximas férias de verão. À noite, ele estava algo triste, ninguém sabe porquê, mas pelo que os amigos disseram ela é que o animou, com as suas brincadeiras e talvez apenas pela sua presença, quem sabe…A despedida para ela foi dura, ele pareceu não se importar muito com o facto de se ir embora e só a voltar a ver dentro de um ano, a única coisa que ambos disseram um ao outro foi apenas “adeus…”. Ela queria um “até já!”. Agora, sempre que passa pela mesma rua, onde se voltaram a encontrar depois do verão passado, evita não olhar para a casa para não se lembrar dele.

Talvez um dia…

4 Comments:

Blogger Liliana said...

Bonita história!! Estás lá...tens um jeitinho para a escrita que vai lá vai, muitos parabéns porque nos dias que correm é raro encontrar pessoas com esta tua capacidade. Beijinhos e continua com o optimo trabalho.Bj*

18:54  
Blogger Jay said...

wow!! isto ta bonito!! :S parece tirado dum livro!! Se o reesto do blog vai ser assim, isto vai ter um futuro muito risonho!!

****

23:06  
Blogger _Morgaine_ said...

Carolita, Caroliiiita! Mais um blog? E ainda por cima dos bons... ;) Sim senhora! :) E este historinha...upa upa! Ainda hás-de me contar onde te foste inspirar!Ah pois! ehehe ;)
Bjokitas moça! ********

23:55  
Blogger Ana said...

e net, não existe???????? eles n tinham msn????? oh existência cruel!
:p

P.S. - já mencionei que tens jeito pró negócio?

07:16  

Enviar um comentário

<< Home